• Novo
Manual de serviço em pdf da carregadeira de rodas Case 621F, 721F Tier 2 - Case manuais

Manual de serviço em pdf da carregadeira de rodas Case 621F, 721F Tier 2

CASE-47388956
58,90 $
Sem IVA

Formato: PDF

Páginas: 2042

Tamanho do arquivo: 97,33 MB

Idioma: inglês

Modelos: 621F, 721F Tier 2 do PIN NBF213588 e superior

O manual de serviço da carregadeira de rodas Case 621F, 721F Nível 2 está disponível para download imediato após a compra, a qualquer momento. Ele pode ser baixado e visualizado em qualquer dispositivo. Baixe o arquivo PDF de visualização gratuita usando o link TAB de Anexos

SATISFACTION GUARANTEE
SHOP WITH CONFIDENCE
SECURE PAYMENT
INSTANT DOWNLOAD
 
O manual de serviço em pdf da carregadeira de rodas Case 621F, 721F Tier 2 está disponível para download imediato após a compra. Baixe um arquivo PDF de visualização gratuita do documento original e decida se ele atende às suas necessidades. Este arquivo de visualização incluirá a parte inicial do documento principal, cerca de 5% das páginas. Via de regra, isso será suficiente para conhecer o conteúdo do documento e visualizar os nomes das seções. Você pode encontrar o link para download na seção Anexos.

Os manuais vêm em um formato PDF conveniente. Cada documento passou no teste de integridade de nossos especialistas e é otimizado para visualização em qualquer dispositivo. Você pode facilmente abrir arquivos PDF em um computador, Mac ou PC, qualquer tablet ou smartphone.

Todos os manuais adquiridos são armazenados em sua conta, para que você possa baixá-los novamente sem nenhum custo extra. Sua conta está aberta para você 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Se você tiver problemas com o download de um arquivo, entre em contato conosco e forneceremos um link alternativo para download. Cada arquivo neste site foi verificado. Em caso de problemas contacte-nos através da página de contacto. Teremos o maior prazer em ajudá-lo.

Todos os principais cartões de crédito / débito e PayPal são aceitos. Sem impostos e taxas adicionais adicionadas. Garantimos a sua satisfação!

Tudo pode ser consertado!

Tipo de documento
Serviço manual
Língua
inglês
Tipo de maquinário
retro escavadeira

Em 1842, o empresário Jerome Case fundou a JI Case em Rochester, Wisconsin. Um ano depois, a empresa mudou o local do registro para o município de Racine no mesmo estado, por se situar mais perto da água e das instalações nas quais era possível construir e consertar máquinas agrícolas, cuja produção decidiu atacar Jerome. No novo local, a empresa foi registrada com o nome Racine Threshing Machine Works. Em 1963, os sócios comerciais de Casey eram três fazendeiros: Massena Erskine, Robert Baker e Stefan Bull. Mais tarde, eles receberam o apelido de Big Four na produção agrícola, e o próprio Case foi mais tarde conhecido como o primeiro americano a usar uma máquina a vapor para a agricultura.

Em 1865, foi apresentado o símbolo da empresa - a águia, repetindo completamente o talismã do lendário regimento de Wisconsin da Guerra Civil dos Estados Unidos. Por sua vez, o primeiro sucesso de projeto da Kais foi a colheitadeira a vapor, criada em 1869. Posteriormente, essa máquina foi colocada no Museu Smithsonian em Washington, DC. Com suas colheitadeiras, Jerome Case teve o primeiro lugar em 1879 na exposição de Paris na França. Esses vários carros foram as primeiras máquinas da Case, que foram enviadas para o exterior. O primeiro dos milhares que mais tarde foram exportados internacionalmente em grandes quantidades.

Ao mesmo tempo, a Case também criou um trator a vapor baseado em um de seus motores. Em 1884, Jerome Case visitou uma das fazendas em Minnesota, onde sua técnica foi usada, ao ouvir rumores de que o carro não estava funcionando. Acabou sendo verdade. Indignado com o fato de que não seria capaz de levar o carro com ele e consertá-lo, no dia seguinte Jerome queimou-o e, quando voltou para Wisconsin, ordenou que o proprietário do trator destruído fosse entregue ao proprietário. Posteriormente, a fazenda recebeu o nome de Keyes, o que, aliás, não é nada surpreendente.

Em 1890, a Case expandiu sua produção, chegando à América do Sul - a fábrica foi inaugurada na Argentina. Um ano depois, Jerome Case morreu com 72 anos de idade. Naquela época, a Case era a empresa mais produtiva em toda a América do Norte: a Case Company produzia máquinas agrícolas com motores variando de 9 a 80 cavalos. Além disso, foi produzido um lote de tratores de 110 cavalos com cabine de dois níveis, como bem como nove tratores. Capacidade de 150 cavalos.

Utilizando a produção de motores a gasolina, a Case Company assumiu em 1895. Em 1899 a empresa saiu para o mercado russo, e em 1904 apresentou ao consumidor sua primeira colheitadeira totalmente feita de aço. No mesmo ano, foi produzido o primeiro trator com motor de combustão interna e, além disso, a empresa estava firmemente enraizada na Europa. Isso foi demonstrado pelos resultados do concurso, dentro do qual ficou claro que a técnica da Case Company é encontrada com mais frequência do que outros equipamentos nas terras aráveis do "velho mundo".

Naquela época, a gama de produtos da Case Company era muito diversificada: de colheitadeiras, tratores e motoniveladoras a carregadores de água, carrinhos, charruas e até carros simples. No entanto, a produção de automóveis civis Case Company envolveu-se em um período de tempo relativamente curto. Dos sucessos nessa indústria, vale destacar apenas o carro turístico de 7 lugares, lançado em 1920.

No início do século XX, ficou claro para todos que o futuro pertence aos motores a gasolina. A direção da Case Company convidou o piloto Joe Jaggersberg, que concordou em testar seu novo motor na corrida de Indianápolis 500 em 1911. E no ano seguinte a empresa começou a produzir óleo de motor. Também durante vários anos, a Case Company se dedicou à produção de tratores a querosene.

Curiosamente, as vendas europeias da empresa foram positivamente influenciadas pela eclosão da Primeira Guerra Mundial: quase todos os lavradores foram convocados para o front e os agricultores tiveram de sair para salvar a colheita.

Em 1919, ocorreu um evento que afetou o futuro da Case Company - uma empresa chamada John Deere Company entrou no mercado de harvesters. A resposta de seus concorrentes da International Harvester foi um novo curso para a aquisição da P&O Plowing Company de Canton, Illinois, e Chattanooga Plowin, de Chatanuga, Tennessee. Em seguida, Henry Ford, com sua empresa Fordson Tractor, interveio no mesmo ramo do mercado.

Foi assim que a "Guerra do Trator" começou em 1923, ocorrida entre a Ford Motor Company, a John Deere, a Case e a International Harvester. A Case passou então a fazer parte da International Harvester, transformando-se assim na Case-IHC. Mas mesmo após a fusão, a empresa controlava apenas 9% do mercado, enquanto 71% respondiam pela empresa Ford. No mesmo ano, a empresa Keisa comemorou o aniversário - foram produzidas 100 mil colheitadeiras na história da produção. E em 1928 a empresa esperava outra mudança de nome - desta vez a empresa ficou conhecida como JI Case Company.

Um ano antes, as fábricas haviam parado de produzir lendários tratores a vapor e a prioridade foi dada aos motores de combustão interna. Equipados com diferentes tipos de motores, os tratores também diferiam na cor. Os tratores a vapor foram pintados nas cores preto e verde, e gasolina - em cinza (mais tarde ficaram laranja, enquanto as escavadeiras foram pintadas com flores vermelhas e amarelas).

Em 1929, a empresa deu continuidade à sua política de expansão do mercado internacional na Austrália, México e Suécia. No mesmo ano, surge o primeiro trator sobre esteiras JI Case Company. Durante 1940, no estado de Nebraska, houve testes de um trator a diesel WD-40. Um pouco mais tarde, no mesmo ano, a empresa lançou os tratores do S e V.

Durante a Segunda Guerra Mundial, a Case Company produziu projéteis de artilharia, peças de reposição para aviões B-26, bombas e tanques Sherman. Em 1941, a empresa inaugurou três novas fábricas nos Estados Unidos da América. Um ano depois, saiu a luz Modelo 123 SP. Além disso, 1942 foi marcante na história da empresa com o surgimento da primeira máquina de colheita de algodão, que também caiu no Museu Smithsonian.

Em 1947, o logotipo da empresa mudou - o nome "C" desapareceu do nome, e o logotipo em si agora era uma pessoa sentada no trator. Este emblema foi desenvolvido pelo famoso designer industrial Raymond Lowe.

Em 1958, outra fábrica estrangeira foi inaugurada em Doncaster, Grã-Bretanha. Durante os 31 anos seguintes, a empresa se globalizou significativamente. Muitas outras empresas conseguiram ingressar na Case em um período de tempo tão longo. Assim, em 1962, a empresa JI Case comprou a corporação American Tractor, que então liderava os Estados Unidos no volume de produção de escavadeiras e caminhões. Graças a esta fusão, em 1967 a Case Company pôde apresentar ao público a escavadeira de maior sucesso modelo 250C Construction King, que se tornou sinônimo deste tipo de equipamento nos Estados Unidos.

Em 1984, muitas unidades da International Harvester fundiram-se com a JI Case Company e começaram a produzir produtos sob a marca Case International (mais tarde Case IH). Até 1988, 94 produtos eram produzidos sob o nome CASE, e só então surgiu Magnum. Em 1996, a empresa adquiriu a fabricante australiana de tratores Steyr Tractor.

A Case Corporation se fundiu com a New Holland NV, tornando-se CNH, e desde novembro de 1999 - CNH Global. Devido à fusão, a CNH Global teve que vender fábricas em Doncaster, no Reino Unido, e em Winnipeg, no Canadá. Tal fusão deu um clima otimista e deu esperança à prosperidade da Case Corporation no mercado europeu, então em 2006 um plano de negócios foi criado para retornar a empresa ao status de "internacional". Para isso, o antigo logotipo da International Harvester foi devolvido e, além disso, havia diferenças significativas entre as duas marcas existentes dentro da corporação.

Sem opinião
Produto adicionado à lista de desejos